Cor, leveza, elegância, alto-astral: tudo isso você consegue com ajuda das flores. Inspire-se!



Bules antigos e jarras, mesmo os lascadinhos, ganham vida com galhos de cerejeira.


Petúnias brancas, plantadas em um vasinho, recuperam a beleza de recipientes marcados pelo tempo. A forração de galhos e folhas de jasmim é alternativa ao musgo.


Luz e beleza: arranjo aquático mistura cravíneas, flores de cerejeira e velas. 


Escada como peça decorativa: o buquê de kalanchoe, cravíneas, minigérberas e astromélias é mantido numa garrafa PET, colocada no saquinho de papel e amarrado com um fio de sisal. 


Delicadeza na latinha de manteiga com alça de eucalipto e minirrosas espetadas em esponja floral. 


Miniarranjos de rosa e cerejeira em vidrinhos de essência de baunilha


Rosas a boiar no centro de mesa: efeito hipnótico.


No bar, garrafas long neck e de vinho trocam de função: embrulhadas em jogos americanos, fazem um arranjo surpreendente.


Xícaras viram vasos para suculenta e o bule transparente se transforma em um terrário. Bule e canecas de vidro 


Vidros pintados com goma-laca e purpurina compõem um visual de impacto. Para demarcar o contorno, basta usar fita crepe.


Nada mais é necessário: o cabide de arame remoldado em forma de círculo, coberto com galhos de eucalipto e mosquitinhos, embeleza a maçaneta da porta


Com uma tina de ágata, a cadeira sem assento vira suporte para lobélias azuis e dá um clima de Provence ao jardim. 


Vidros de perfume vazios abrigam rosas, astromélias e chuva-de-ouro.


Flores vermelhas em louças brancas compõem um lindo centro de mesa.

 
A cesta aramada reúne recipientes vários, de sabonete líquido a vidro de azeite, com melindre, chuva-de-ouro, eucalipto, calla bordô e cúrcuma. 


É nada, mas é tudo: displicentemente deixado sobre uma louça antiga, o ramo de mosquitinhos vira um centro de mesa.